Pular para a barra de ferramentas

Conexão Brasil-França

O serviço público na Europa, e mais especificamente na França, é reconhecido por uma cultura forte e funcionários públicos especializados. O antigo continente foi o primeiro a apresentar uma configuração dos países e de governança do jeito que conhecemos hoje (o famoso Estado-nação), capaz de representar os valores e identidades de um povo.

Estou tendo a oportunidade de fazer um mestrado em Lyon, na França, e de conhecer um pouco mais os avanços e desafios da gestão pública na Europa. Por isso vou publicar alguns textos por aqui compartilhando essa experiência.

A experiência em uma universidade francesa

Estudo na École Normale Supérieure de Lyon, um modelo tipicamente francês de ensino superior. As grandes escolas, como são conhecidas, tem uma especificidade: para ingressá-las o aluno deverá ser aprovado em um concurso super rigoroso, que lhe dá acesso a um salário bem pago pelo governo francês, durante 10 anos. Como contrapartida, o aluno deve após se formar trabalhar como funcionário público dentro desse prazo.

Esse é o caso também da École Nationale d’Administration (ENA), reconhecida como uma das maiores capacitações para cargos públicos no mundo. Inclusive, a Escola Nacional de Administração de Santa Catarina – onde também está sediada a WeGov – leva o mesmo nome da escola francesa.

A ENA foi criada após a Segunda Guerra Mundial, com o objetivo principal de reconstrução do Estado francês e do fortalecimento da democracia. Sendo uma das primeiras formações específicas no mundo para auto-funcionários de governo, muitos políticos importantes para a França e Europa já passaram por ela.

Apesar desses cargos serem muito criticados pela grande autonomia administrativa que perpassa os níveis políticos (o que vem sendo alterado à partir de reformas nos anos 90) e pela seletividade que esses concursos apresentam, lhe conferindo um caráter elitista, a ENA é um exemplo a ser seguido de profissionais especializados para grandes cargos da máquina pública e questões práticas relacionadas ao contexto nacional.

Está interessado em estudar na ENA?

Alguns servidores brasileiros já passaram pela escola, que oferece chance de ingressos para estrangeiros. O “ciclo internacional longo (CIL)”, como é conhecido para alunos não franceses, tem duração de 14 a 16 meses e um caráter generalista. A escola fica em Estrasburgo, e o CIL funciona da seguinte maneira:

  • 1 mês de aulas para contextualização da administração pública na França;
  • 4 meses de estágio em uma organização pública escolhida segundo a área do aluno;
  • 9 meses de aula juntamente com alunos franceses;
  • e finalmente 2 meses dedicados a um mémoire (uma monografia francesa).

O “diploma internacional de administração pública” pode ainda ser complementado por um enfoque em ação pública na Europa ou em comunicação de instituições públicas.

Para se candidatar você deve já ter um diploma de graduação e ser um funcionário público. A língua francesa e inglesa também são requisitos! As inscrições para 2019 vão abrir em setembro desse ano, e compreendem algumas provas ou projeto de mestrado estipulado pela ENA (diferentes das feitas para os alunos franceses).

Uma vez aprovado, não é necessário pagar o curso, apenas uma taxa de matrícula (500 €) e de seguro social (260 €). O custo de vida também deve ser custeado pelo aluno (que pode conseguir uma bolsa também pelo governo francês).


Conheça mais

Se interessou pela dica? Acesse aqui para maiores informações.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

@

Não ativo recentemente