Era para ser uma homenagem, mas no Espírito Santo a publicação do Governo ofendeu jornalistas neste 7 de abril, Dia do Jornalista. Ofendeu porque é sempre muito difícil prever a reação do público quando se adota humor nos conteúdos de páginas institucionais do setor público. Existe uma ideia difundida sobre a sobriedade e seriedade dos órgãos públicos como se houvesse a necessidade de transpor também para a comunicação.

A publicação trazia um gif (bastante conhecido entre os usuários mais assíduos de redes sociais) de um macaco sentado à mesa, empurrando um laptop. Na legenda, o texto: “Hoje é o dia do batedor de releases. Parabéns, amigos jornalistas. Hoje é o nosso dia! #DiadoJornalista”. Após a chuva de críticas, ao final da manhã a publicação foi apagada.

As críticas

A publicação recebeu comentários dizendo que o Governo do Espírito Santo estava chamando os jornalistas de macacos. A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e o Sindicato dos Jornalistas do Espírito Santo criticaram e solicitaram uma retratação: “toda a formação ética e social dos profissionais responsáveis por levar informação de qualidade à sociedade”.

A retratação

A retratação foi feita pela Superintendente de Estado de Comunicação, Andréia Lopes.

Convenhamos, a nota foi muito exagerada, bem como a reação de todos que criticaram a publicação. Como jornalista, a nota me ofendeu muito mais do que a publicação. Criticam um gif plenamente difundido na internet dizendo que subestima a formação e o trabalho de todos nós, mas a nota faz parecer que jornalistas não sabem o que é e como funciona a linguagem em redes sociais.

Nem sequer houve uma brincadeira dizendo que jornalista é um macaco (como o Estadão fez um tempo atrás com os blogueiros). As críticas foram exageradas, resultado de uma interpretação de texto vitimista ou pretenciosamente mau humorada.

Entretons de uma publicação de governo que ofendeu jornalistas

Ainda está longe de instituições do setor público conseguirem utilizar efetivamente a linguagem das redes nas redes. Parte porque nem sempre é o momento certo para adotar um tom mais despojado nas publicações. Parte porque há ainda uma cultura retrógrada na construção dos discursos. Houvesse um pouquinho mais de bom humor e conhecimento do que é a cibercultura, nem precisaria estar falando sobre isso aqui.

O tom da nota de retratação deu mais notoriedade ao fato que acabou sendo notícia nos portais da imprensa, como G1 e Veja. Imagina uma nota dessas sempre que alguém discordar de uma publicação mais descontraída em páginas de governo. A publicação do governo ofendeu jornalistas que quiseram se sentir assim.

Fica a experiência para pensarmos antes de produzir algum conteúdo utilizando-se de temas muitas vezes debatidos como piada de mau gosto ou preconceito. A palavra macaco é vista com uma conotação muito negativa. Talvez por isso o gif tenha gerado a tal sensação de que a publicação do governo ofendeu jornalistas.

Demissão

Soube há pouco que o Governo do Espírito Santo decidiu demitir a assessora por trás da homenagem ao dia dos jornalistas. É exagero, em cima de exagero. Espero que isto algum dia mude. Espero também posicionamento do sindicato em defesa da tal pessoa que não sei quem é mas já considero pakas (opa! É possível que não compreendam a referência).

Originalmente publicado no blog Jornalista Digital.

Jéssica Macedo

Jéssica Macedo

Jornalista especialista em marketing digital. Trabalha com mídias sociais desde 2009. Atualmente é parte do Núcleo de Mídias Sociais do Senado Federal e pós-graduanda da UFG em Inovação em Mídias Interativas. Foi parte da coordenação das Redes Sociais do Ministério da Saúde e também da Casa Civil da Presidência. Em outros projetos políticos, contribuiu no combate à disseminação de boatos durante o período eleitoral.



Mais artigos